Vitrificação Embriões

carla-iaconelli-vitrificacao-embrioes

Ao fazer um estímulo ovariano com medicação para FIV ou ICSI é comum que muitos óvulos sejam produzidos, e por consequência, sobrem embriões uma vez que é limitada a quantidade que pode ser transferida para o útero da paciente. 

A melhor opção nesses casos é a vitrificação ou congelamento dos bons embriões que não forem transferidos naquele ciclo, desta maneira, se gestação não acontecer ou se o casal quiser engravidar novamente não precisarão passar pela fase de estimulo ovariano, poupando tempo, dinheiro e picadas de injeção. Mesmo se caso a gestação aconteça e o casal tiver planos de uma segunda gestação, a transferência dos embriões descongelados também poderá ser feita.

A técnica de vitrificação é muito segura e a taxa de gestação de embriões descongelados é semelhante à taxa de gestação de embriões transferidos a fresco.

O ciclo de descongelamento consiste no acompanhamento ultrassonográfico do desenvolvimento e espessamento endometrial durante a primeira fase do ciclo menstrual. Podemos prescrever medicamentos para ajudar no preparo endometrial, que é basicamente o estrogênio, que pode ser em adesivos, via oral ou via vaginal.

No momento que o endométrio se mostra adequado para marcar a transferência, orienta-se o inicio de uso da progesterona e a transferência é agendada.

O procedimento é igual ao realizado com embriões a fresco, não há necessidade de jejum nem de anestesia, os embriões são delicadamente depositados no endométrio com um cateter específico e o exame para confirmar a gestação é realizado 10 a 12 dias após o procedimento.

O conteúdo deste site é meramente informativo e não substitui em hipótese alguma a consulta médica presencial.