Pais com HIV buscam bebês saudáveis com auxilio da Fertilização in Vitro!

Segundo o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, a taxa de infectados com essas patologias cresceu entre 2006 e 2015 nas faixas de 15 a 19 anos, com variação de 187,5%; de 20 a 24 anos, com alta de 108%, e entre 25 a 29 anos, com aumento de 21%.  Há cerca de 780 mil pessoas portadoras do vírus HIV no Brasil, 245 mil são mulheres em idade reprodutiva.

Foi aprovada esse ano a Lei 13.504, que institui a Campanha Nacional de Prevenção ao HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis- a data  intitulada de Dezembro Vermelho(01/12). Seguindo com esse foco de cuidados e alertas, Dra. Carla Iaconelli, especialista em reprodução humana, aborda o aumento de casais sorodiscordantes e com HIV no País, que buscam tratamentos para realizem o sonho de terem bebês saudáveis.

“A reprodução desses casais é uma realidade e não deve ser considerado um tabu”, ressalta dra. Carla. 

 Segundo a especialista, a prevenção é o melhor caminho, sem dúvida. Mas uma vez diagnosticada a doença, cada vez mais esse público busca qualidade de vida e tratamentos adequados, entre eles, o da Fertilização In Vitro ou Inseminação Artificial. Há técnicas diferentes: se o homem tem o vírus ou a mulher ou os dois. É feito a lavagem seminal (centrifugação e ultra-filtragem) para isolando os espermatozoides e plasma seminal contaminados, dependendo do caso. Antes do procedimento, é importante uma análise completa com exames e avaliações para checar a saúde dos pacientes e como estão suas funções reprodutivas.

 “Se a mulher tem SIDA e carga viral indetectável, ela pode engravidar, realizando a terapia antirretroviral, sendo que o risco de transmissão vertical é baixíssimo ( em torno de 1%)”, diz a doutora.

Dra. Carla explica ainda que os homens com SIDA podem ter filhos com segurança também, se utilizadas técnicas de reprodução humana, pois os riscos de transmissão são quase nulos.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *